1 1
Técnica de raio X permite precisão e rapidez na avaliação da qualidade de sementes de tomate

Rapidez e precisão dos resultados. Essas foram as respostas aos testes realizados com a técnica de raio X para avaliar a qualidade de sementes de tomate, no caso em questão o BRS Nagai, lançado em 2011 pela Embrapa Hortaliças (Brasília, DF). As análises das imagens de plântulas (embrião vegetal desenvolvido dentro da semente) mostraram que danos nas sementes podem afetar a germinação da espécie, conforme os seguidos testes realizados.

 Os trabalhos em torno dessa avaliação tiveram como base o projeto “Estudo de alterações fisiológicas, bioquímicas e moleculares em sementes de tomate: implicações no estabelecimento de sistemas eficientes de produção de cultivares híbridas”, desenvolvido pelo pesquisador Warley Nascimento.

A proposta virou tese de doutorado da agrônoma Shara Borges, da área de Produção Sustentável da Universidade de Brasília (UnB) e orientanda de Nascimento. Segundo ele, que assumiu em janeiro último a chefia-geral da Unidade da Embrapa, o foco no tomate deveu-se à importância econômica da hortaliça dentro da cadeia produtiva, “e os resultados positivos dos testes, que por sua vez validam a escolha do tema como tese de doutorado, sugerem um reconhecimento da sua relevância para a produção de sementes”.

Para a agrônoma, as principais vantagens da técnica referem-se à aceleração do processo de germinação e ao dimensionamento do estádio de maturação da semente, determinante para o sucesso, ou não, da germinação. “O teste de germinação de tomate leva cerca de 14 dias para apresentar resultados, e a partir do uso do raio X o tempo para avaliação da qualidade do lote de sementes é reduzido e sua análise pode predizer a performance das sementes por meio da morfologia do embrião, permitindo assim a seleção de sementes de alta qualidade, explica Shara.

PROCESSO

O processo segue etapas, de acordo com a agrônoma: de um lote de sementes, é tirada uma amostra que é submetida à técnica de raio X e, dependendo de como estará a estrutura interna morfológica daquele embrião, será possível identificar as características de germinação, assim como a melhor época para colher as sementes.  

Nesse caso, foi verificado que quando o embrião não apresenta anormalidade, a planta germinada também não apresenta problemas de vigor. O contrário também foi correlacionado – um embrião identificado com anormalidade não vai gerar uma plântula vigorosa. “No caso dos nossos experimentos, os frutos foram colhidos em diferentes épocas, então encontramos sementes onde o embrião não estava totalmente formado e outras onde alcançaram a máxima qualidade fisiológica, comprovada por meio de testes de germinação”, descreve Shara, que credita como eficiente para o estudo de maturação fisiológica de sementes de tomate o método de análise das imagens por meio de raio X.

Ela chama a atenção para o fato de o raio X envolver um teste de germinação complementar à RAS (Regra para Análise de Sementes), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), obrigatória. Conforme a agrônoma, a técnica é promissora para os estudos de qualidade de diversas espécies.

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

 

Fonte: Embrapa Hortaliças

Busca:
Dólar: 3.308
Euro: 3.8889
Revista ABCSEM
Fone/Fax: (19) 3243 6472
abcsem@abcsem.com.br
Av. Papa Pio XII, 847 sala 22 - Jardim Chapadão
Campinas - SP - CEP 13070-091
Horário de Funcionamento:
Segunda à sexta das 8h às 17:30h
A ABCSEM
Agenda
Associados
Informações do Setor
Legislação
Serviços
Parceiros
Sala de Imprensa
Notícias
Publicações
Associe-se
Contato
© 2017 - ABCSEM - Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas - webdesign - CG Propaganda